Publicada em 05/04/2017 às 09:46

O que fazer ao sentir dores no peito?

É fundamental consultar um especialista para obter um diagnóstico precoce e não correr riscos.

Resultado de imagem para dores no peito

 

As dores repentinas no peito geralmente estão relacionadas a problemas para respirar, já que na maior parte dos casos surgem associadas a falta de ar.

Mas, quando essas dores se tornam frequentes, é preciso procurar um especialista, pois podem indicar problemas mais complexos que requerem atenção e tratamento imediatos. Nesse artigo, falaremos mais sobre essas dores e suas características.

 

angina-peito

Confira.

Conhecendo as dores no peito

Se a dor for forte e, além disso, se estender para as costas, isso é um mau sinal, que pode indicar o rompimento das paredes de alguma veia e se esse for o caso, é provável que uma cirurgia urgente seja necessária.

 

Pessoas que sofrem de pressão alta precisam estar mais atentas a esses sintomas, pois apresentam um risco muito maior de sofrerem tais complicações.

Caso a dor se resuma a pontadas na região do peito a probabilidade maior é que se trate de uma dor muscular. Se a dor aumentar ao mudarmos de posição ou respirarmos profundamente, poderemos ter a certeza de que a causa da dor é muscular e para resolver o problema bastará tomar um anti-inflamatório ou um relaxante muscular, ambos capazes de dar um fim rápido a esse tipo de dor.

 

Ainda, se a dor é generalizada e ao nos inclinarmos para frente sentirmos uma melhora, pode ser que a capa que reveste o coração esteja um pouco inflamada, o que é conhecido pelo nome de pericardite. Quando isso acontece outros sintomas costumam vir associados, tais como febre, congestão nasal e dores em todo o corpo. Assim, é importante procurar um médico imediatamente.

Como diferenciar as dores?

Pontadas no peito

Em quase todas as ocasiões essa é uma dor causada por esforços feitos de maneira inadequada ou exercícios muito pesados e constantes, que provocam a inflamação de um ou mais músculos. Quando isso acontece a dor é mais forte ao mudarmos de posição ou ao respirarmos profundamente, e, como já citado anteriormente, geralmente tomar um relaxante muscular ou um anti-inflamatório é o suficiente para melhorar o quadro.

Queimação no peito

Esse tipo de problema é mais comum, é geralmente por causa dele que muitas pessoas tendem a procurar um médico, pois na maioria dos casos a queimação é muito forte. É comum que esse sintoma esteja associado a problemas gástricos que acabam por causar acidez e refluxo.

Esses incômodos sintomas costumam aparecer justamente meia hora depois de comermos certos alimentos que podem desencadeá-lo, como, por exemplo, sucos ácidos, comidas condimentadas ou bebidas gasosas.

Lembre-se

Qualquer que seja o motivo das dores no peito, é muito importante dar-lhes a devida atenção e importância, e não se deve esperar que os sintomas evoluam e se tornem graves para procurar um médico.

Lembrem-se que a prevenção e um diagnóstico precoce são as melhores ferramentas para encontrarmos a melhor maneira de vivermos saudáveis.

 

Veja ainda:

Publicada em 05/04/2017 as 09:18

Síndrome do Túnel do Carpo: Movimentos repetitivos

A doença possui tratamento e deve ser iniciado assim que surgirem os primeiros sintomas.

Publicada em 04/04/2017 as 15:07

Hiperglicemia pode causar queda de cabelo?

O cabelo é uma parte do nosso corpo muito sensível e por isso a hiperglicemia pode afetar os fios.

Publicada em 04/04/2017 as 14:43

Exercício e depressão

A maior parte destes benefícios já tem comprovação científica, como a redução de mortalidade por qualquer causa, a redução do risco cardiovascular e de acidente vascular cerebral.

Publicada em 04/04/2017 as 12:57

ABNT: Segurança de alimentos

Elas abrangem todo o percurso dos alimentos, desde sua produção, até a hora em que ficam expostos em supermercados.

Publicada em 04/04/2017 as 12:06

Trabalho e amamentação: você conhece os direitos garantidos por lei?

Dra. Luciana Dessimoni, do Nakano Advogados Associados, explica como funciona o direito à amamentação do bebê após a licença maternidade

 

Autor: melhorcomsaude.com
Fonte: melhorcomsaude.com

Comente com o Facebook