Publicada em 05/09/2016 às 04:22

Nos 35 anos do SBT, relembre 35 fatos na história do canal de Silvio Santos

Em 2015, 14,86% dos emissores do país sintonizaram no SBT, pouco mais do que a Record (14,56%) e menos do que a metade da audiência da líder Globo (36,91%), segundo o Ibope.

Silvio Santos conseguiu licença de seu canal no governo de Figueiredo - Divulgação/SBT

O SBT comemorou 35 anos da sua primeira transmissão no dia 19 de agosto. A emissora entrou no ar depois que Silvio Santos conseguir do governo Figueiredo a licença para operar a concessão do canal 4 de São Paulo, antiga frequência da TV Tupi.

À ela uniu a TVS, canal 11 do Rio que era a Continental e detinha desde 1976, a TV Marajoara (Pará) e a gaúcha Piratini.

O canal pretende celebrar o aniversário com eventos até o fim do ano. Promoverá em outubro uma nova Parada do Dia das Crianças, famosa nos anos 1980, e uma exposição dedicada ao homem do Baú no MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo, prevista para dezembro.

Eterno vice-líder, parece se orgulhar do segundo lugar desde a sua criação. Em 2015, 14,86% dos emissores do país sintonizaram no SBT, pouco mais do que a Record (14,56%) e menos do que a metade da audiência da líder Globo (36,91%), segundo o Ibope.

Abaixo, 35 momentos marcantes da emissora desde a sua criação: o DNA popularesco, as apostas no jornalismo, as vitórias contra a Globo e, claro, o eterno pé nos anos 1980.

INAUGURAÇÃO AO VIVO

"Foi uma novela com 'happy ending'", resumiu Silvio Santos na transmissão ao vivo da assinatura do contrato que encerrou a licitação do Ministério das Comunicações que lhe permitiu a operação do SBT.
O evento foi um caso raro na história da televisão. Famoso por seus programas no rádio e na TV Globo, anunciou um investimento de US$ 10 milhões e prometeu ser "muito mais um colega do que patrão".

PEGADINHAS

O quadro "Câmera Escondida", com pegadinhas, é tão longevo quanto o SBT. As trapaças começaram no humorístico "Alegria 81", no ano de estreia do canal.

Algumas das brincadeiras são criadas pelo próprio Silvio Santos, como Ivo Holanda, famoso ator de pegadinhas, contou à Folha de S.Paulo em 2015.

BOZO

Inspirado em formato americano, o palhaço teve várias encarnações e formatos no canal de Silvio Santos desde o começo dos anos 1980.

No rol de seus intérpretes estão Luís Ricardo (até hoje apresenta sorteios de prêmios para revendedoras Jequiti no canal) e Arlindo Barreto, o mais célebre dos Bozos, que ganhará cinebiografia protagonizada por Vladimir Brichta.

BEBÊ MORRE AO VIVO NO SBT

O assistencialismo e o sensacionalismo que até hoje proliferam na TV seguem a cartilha do famoso "O Povo na TV", exibido de 1981 a 1985.

Com Wagner Montes (deputado estadual no Rio pelo PRB), Cristina Rocha (atual apresentadora do "Casos de Família"), Sérgio Mallandro e o então "advogado dos pobres" Roberto Jefferson, a atração prometia resolver problemas dos telespectadores.

O caso mais famoso aconteceu em 14 de dezembro 1982, quando um bebê de nove meses morreu diante das câmeras do SBT. A criança tinha um tumor nos olhos e a mãe foi pedir ajuda à produção porque não conseguia atendimento médico.

RAINHA DO SOFÁ

O mais longevo trono de Hebe Camargo, a rainha da TV brasileira, foi o sofá branco de seu programa no SBT, onde recebeu seus convidados de 1986 a 2010.

Após uma rápida passagem pela RedeTV! entre 2011 e 2012, Hebe retornaria ao canal de Silvio Santos. Não deu tempo: morreu em setembro de 2012, dois dias depois de assinar novamente com o "patrão".

REI DA CRIANÇADA

Antes das brincadeiras com Maísa Silva, hoje adolescente, Silvio se divertia com as crianças em seu "Domingo no Parque", que promovia gincanas e distribuía prêmios.

A PRAÇA É NOSSA

Em 1987, Carlos Alberto de Nóbrega aceitou o convite de Silvio Santos para reeditar o famoso programa criado por seu pai, Manuel de Nóbrega, ainda na rádio.

O humorístico é exibido até hoje e chega a liderar a audiência nas noites de quinta-feira.

QUANTO VALE O SHOW?

"Pedro de Lara lá, lá-lá-lá lá lá" Silvio Santos eternizou seu júri no "Show de Calouros", em que anônimos precisavam provar seu talento à banca formada por Sônia Lima, Sérgio Mallandro, Flor, Elke Maravilha, Ary Toledo, entre outros.

O modelo jamais saiu da grade do SBT, que até hoje promove concursos no "Máquina da Fama", no "Programa da Eliana" e no quadro "Levanta-te", do "Programa Silvio Santos".

ENTREVISTA A FÃS E JURADOS

Batizado Senor Abravanel, Silvio Santos explicou o significado de seu nome no fim dos anos 1980 respondendo a perguntas de telespectadores e jurados, como Aracy de Almeida, em seu "Show de Calouros".

O antigo camelô também falou de jornalismo, a fé na vida eterna, suas grandes tristezas e conselhos para acumular riqueza.

JÔ SOARES

Silvio foi às compras: em outubro de 1987, tirou Jô Soares da Globo para apresentar o primeiro talk show da TV, o "Jô Soares Onze e Meia". A transação foi a maior da TV brasileira até então.

O apresentador e humorista saiu da emissora em 1999 e voltou à Globo para a apresentar o "Programa do Jô", que se despede da programação no final deste ano.

APOSTAS NO JORNALISMO

Numa tentativa de conferir prestígio a programação, além de Jô Soares, Silvio apostou no jornalismo.
Em 1988, sete anos depois de sua estreia, o SBT contratou Boris Casoy, ex-editor chefe da Folha de S.Paulo, e o lançou como âncora do telejornal TJ Brasil.

Em 2005, o homem do Baú realizou outra grande contratação: Ana Paula Padrão, âncora do "Jornal da Globo" em alta na emissora carioca. Após sucessivas mudanças de horário e de programas, a jornalista, hoje à frentre do reality "MasterChef", foi para a Record em 2009.

O jornalismo, porém, nunca foi o forte da emissora. Neste ano, tem exibido comerciais em que convida jornalistas a vender boas histórias ao canal por R$ 10 mil.

SILVIO PRESIDENTE

Antes do confronto final entre Lula e Collor, a primeira eleição para a presidência da República teve outro candidato célebre: Silvio Santos. A candidatura do famoso apresentador de TV acabou sendo impugnada pelo TSE.

UM COQUETEL DE SBT

Durou pouco, apenas um ano (1991-1992). Mas foi inesquecível para os adolescentes daquela época: mulheres-fruta, vestindo maiôs brilhantes como vedetes, despiam-se em um jogo comandado pelo "showman" Luiz Carlos Miele.

Assim era o noturno "Cocktail", criado em comemoração aos dez anos do SBT.

AQUI AGORA

Herança da TV Tupi, o programa "mundo cão" levava no título o bordão de seu apresentador, Gil Gomes. É o pai de programas policialescos atuais como o "Cidade Alerta" e "Balanço Geral": exibia reportagens sobre sequestros, roubos e tiroteios.

PORTA DOS DESESPERADOS

Que quase todos os programas do SBT distribuem prêmios a seus participantes não é novidade. Mas só a "Porta dos Desesperados", de Sérgio Mallandro, podia oferecer sustos às crianças esperançosas por brinquedos em 1987.

TOPA TUDO POR DINHEIRO

Com pegadinhas, gincanas e tombos de Silvio Santos: o "Topa Tudo por Dinheiro", exibido nos anos 1990, é muito parecido com o atual "Programa Silvio Santos".

FALA, GAROTO

O vespertino "Programa Livre", inicialmente com Serginho Groisman, estreou em 1991 foi um dos grandes momentos do canal.

Com boas entrevistas e gincanas, era uma das poucas opções na TV para o público jovem dos anos 1990. Sempre tinha um convidado musical: de Legião Urbana a Shakira.

BANHEIRA DO GUGU

No vale tudo pela audiência dos anos 1990, Gugu Liberato começou a ganhar do Faustão (Globo) com alguns quadros no mínimo apelativos de seu "Domingo Legal".

Um deles era a "Banheira do Gugu", em que os famosos da época tinham de caçar sabonetes em uma hidromassagem vestindo apenas sungas e biquínis enquanto tentavam se desvencilhar de modelos em trajes mínimos.

TRÉGUA AOS DOMINGOS

Uma ação publicitária de uma empresa de produtos alimentícios fez o inimaginável na disputa acirrada pela audiência entre Faustão e Gugu: uniu os apresentadores da Globo e do SBT em um bate-papo transmitido ao vivo.

TORTA NA CARA

Qual criança dos anos 1990 não sonhou em tomar banhos de tinta nas provas do programa de gincanas "Passa ou Repassa" e degustar as tortas na cara, punição para quem errasse no jogo de perguntas e respostas?

É NAMORO OU AMIZADE?

Um dos mais famosos quadros de namoro na TV, o "Em Nome do Amor" começou em 1994 para unir jovens e adultos em busca de um parceiro. O cupido era Silvio Santos, é claro, que criou ali o bordão "é namoro ou amizade?".

CHIQUITITAS

A novela infantil "Chiquititas", importada da Argentina, estreou pela primeira vez no SBT em 1997. A história ambientada em um orfanato revelou a atriz Fernanda Souza e se tornou uma coqueluche na época.

O fanatismo era tamanho que Tropa de Choque foi parar nos estúdios do canal, na rodovia Anhanguera, para conter a confusão generalizada causada por um concurso que deveria escolher novos atores mirins para a novelinha entre crianças anônimas. O canal reeditou "Chiquititas" em 2013.

DRAMALHÃO LATINO

Compradas da Televisa, as novelas mexicanas, como "Maria do Bairro" (campeã de reprises, com sete exibições) e "A Usurpadora", são uma marca registrada do SBT.

CASA DOS ARTISTAS

Sabendo que a Globo preparava o "Big Brother Brasil", Silvio Santos furou a concorrência e apresentou o reality show aos brasileiros com "Casa dos Artistas". Às pressas, confinou em uma mansão vizinha à sua, no Morumbi, famosos como Supla e Bárbara Paz.

Com mais de 40 pontos no Ibope, foi a maior audiência do canal até hoje e chegou a derrotar o "Fantástico", aos domingos, feito inédito na história da televisão.

CHAVES E CHAPOLIN

Entre idas e vindas na programação, os humorísticos mexicanos criados por Roberto Bolaños são um trunfo de Silvio Santos para complementar sua grade desde 1984.

CAÇA-PALAVRAS

Competições envolvendo palavras misteriosas, como o "Roletrando" e o "Roda a Roda Jequiti", vira e mexe aparecem no cardápio da emissora.

Um momento inesquecível aconteceu em 1998 no "Fantasia", em que a eterna loira do Tchan Carla Perez se confundiu com o alfabeto ao comandar a adivinhação da palavra "matemática".

UMA LINDA MULHER

"Quando seu telefone tocar não diga alô, diga 'alô, Christina!", era o mantra que Christina Rocha (hoje no "Casos de Família") repetia em seu programa semanal de jogos e variedades "Alô, Christina", do final dos anos 1990. A luxuosa abertura -em que a apresentadora chefa de avião e limusine para dançar com bailarinos numa escada gigante- fala por si.

BEIJOS DE LUZ

Ecumênico, o show beneficente "Teleton" reúne músicos e apresentadores de TV de outros canais no SBT para arrecadar fundos para a AACD, associação que oferece tratamento para crianças com deficiência.

Na edição de 2001, Silvio Santos selou a participação de Gilberto Gil na história dando um beijinho na boca do músico baiano.

A FARSA DO PCC

Além de quadros sentimentais (como o "Sentindo na Pele") e sensuais (a "Banheira do Gugu" e o concurso de camiseta molhada), a trajetória de Gugu no SBT ficou marcada pela polêmica entrevista com supostos membros da facção criminosa PCC.

A "exclusiva" foi ao ar na noite de 7 de setembro 2003 com ameaças aos apresentadores da concorrência, José Luis Datena e Marcelo Rezende de morte. No entanto, o alarde maior aconteceu dias depois: a conversa era, na verdade, havia sido forjada por um produtor do "Domingo Legal".

SHOW DO MILHÃO

O jogo de perguntas e respostas sobre conhecimentos gerais chegou à TV em 1999 e distribuía prêmio máximo de R$ 1 milhão em barras de ouros "que valem mais do que dinheiro", segundo Silvio Santos.

IMPREVISÍVEL

Programas-relâmpago, alterações bruscas na grade e mudanças de horário são algumas das características recorrentes nos 35 anos do SBT.

O "Programa Cor-de-Rosa", em que Silvia Abravanel e Décio Piccinini comentavam fofocas, estreou em agosto e terminou em novembro. Deu lugar ao "Charme", de Adriane Galisteu, outro exemplo de instabilidade: mudou tanto de horário que foi parar na madrugada de sábado para domingo. Como protesto, Galisteu chegou a apresentar a atração de pijama (foi demitida depois).

A última das inovações repentinas de Silvio Santos foi o "Fofocando", que estreou a toque de caixa em 1º de agosto.

TOMBOS

O cair é do homem, mas o levantar... Silvio Santos já se esborrachou testando provas do "Topa Tudo por Dinheiro", caiu em um tanque de água, se desequilibrou no ar e apresentou o sorteio da Tele Sena do chão, mesmo.

FOGO AMIGO

"Se você não tem Netflix, passe a ter", disse Silvio Santos em seu programa. Enquanto a concorrência se preocupa com o serviço de streaming, o dono do SBT faz propaganda grátis para a empresa americana em seu programa semanal.

As menções à concorrência são uma das marcas do apresentador. O canal, eterno vice-líder, já anunciou sua programação em comerciais que propunham explicitamente ao telespectador mudar para o SBT após o fim do capítulo das novelas da Globo.

JOGO DOS PONTINHOS

Silvio Santos tem brindado semanalmente os espectadores com comentários alucinantes no "Jogo dos Pontinhos", em que as mulheres do auditório precisam acertar as respostas do elenco (Patrícia Abravanel, Lívia Andrade, Cabrito Tevez, entre outros) para ganhar R$ 50.

Em uma dessas ocasiões, teve um inexplicável ataque de riso rindo de uma piada sobre o colega de palco Carlinhos Aguiar.

 
 
 

MEDALHA DE PRATA

Ao contrário da Globo, Band e Record, o SBT não adquiriu os direitos de transmissão da Olimpíada do Rio. Se deu bem. Mantendo sua grade inalterada a e oferecendo opções para o telespectador que não quis assistir às competições, a emissora está desde o início dos jogos inabalável na vice-liderança em todo o país. A medalha de ouro está com a Globo.

Autor: Correio do Estado
Fonte:  Em 2015, 14,86% dos emissores do país sintonizara

Comente com o Facebook