Publicada em 14/11/2017 às 13:31

Médicos fazem mais de 60 cirurgias em dois dias para reduzir superlotação no PS de Cuiabá

A unidade, que possui 271, tem 346 pacientes hospitalizados. Dados da prefeitura apontam que 60% desse total são oriundos do interior do estado.

Pronto Socorro de Cuiabá fez mutirão para tentar desafogar fila de espera (Foto: Luiz Alves/Secom-Cuiabá)Mais de 60 cirurgias foram realizadas em dois na tentativa de reduzir a superlotação no Pronto Socorro de Cuiabá, segundo a prefeitura. Os procedimentos foram realizados entre o sábado (11) e domingo (12). A unidade, que possui 271, tem 346 pacientes hospitalizados. Dados da prefeitura apontam que 60% desse total são oriundos do interior do estado.

O mutirão faz parte das medidas emergências anunciadas pela prefeitura na semana passada.

Um levantamento prévio da prefeitura apontou que a maioria dos pacientes que aguardava cirurgia nos corredores procura tratamento de ortopedia.

Para o mutirão, foram necessários 12 ortopedistas, oito anestesistas, oito residentes em ortopedia, quatro instrumentistas e diversos profissionais da enfermagem.

 

Triagem

 

A equipe clínica do PSMC ainda deve fazer um levantamento dentro da unidade de saúde para identificar quais os pacientes que estão aptos a aguardar os procedimentos cirúrgicos em casa, ou seja, que não necessitam de procedimentos de urgência e emergência e com risco de morte.

A expectativa é que com a triagem será possível reordenar a situação dentro da unidade, inclusive com o agendamento dos procedimentos. Feitos a triagem e o agendamento, os técnicos da regulação do Pronto Socorro entrarão em contato com a Central de Regulação do município do paciente, solicitando que seja feita a remoção dele para a cidade de origem e retorne na data agendada pela equipe, para que então ele passe pela cirurgia.

Dessa forma, a unidade hospitalar suspenderá as cirurgias eletivas para pacientes do interior, fazendo uma triagem e garantindo o retorno das pessoas às suas cidades.

Autor: G1 MT
Fonte: G1 MT

Comente com o Facebook