Publicada em 14/11/2017 às 16:28

“Homem não tem útero”, diz ator da Globo ao pedir medidas contra a ideologia de gênero

“Eu vim pedir ao presidente que tome uma medida no sentido de parar essa solerte ideologia de gênero, com essa erotização das crianças".

O ator Carlos Vereza, um dos veteranos da TV Globo, foi ao Palácio do Planalto para uma audiência com o presidente Michel Temer (PMDB), onde expressou sua opinião a respeito da ideologia de gênero e cobrou providências do governo para conter a difusão dessa ideia para evitar o caos no futuro.

“Eu vim pedir ao presidente que tome uma medida no sentido de parar essa solerte ideologia de gênero, com essa erotização das crianças. Fui muito bem recebido, ele se mostrou receptivo à minha sugestão”, disse Vereza.

Para o ator, pessoas que forem educadas a partir desse princípio ideológico que define a sexualidade como uma construção social, podem se deparar no futuro com a realidade biológica, o que pode se transformar em uma trauma psicológico. Casos de pessoas que aderiram à mudança de sexo e se arrependeram são relatados mundo afora.

“Os casos que estão acontecendo, por exemplo, no Rio de Janeiro, o Colégio Pinheiro Guimarães chegou ao ponto de pedir a um aluno que viesse pintado de batom que ele teria uma nota aumentada, para vocês terem uma ideia. Então, o que eu vim pedir a ele é uma medida dele, como comandante supremo do país, que ele olhe isso com muito cuidado, muito rigor, porque essa erotização das crianças significa, em síntese, o trauma dessas crianças enquanto adultos”, ilustrou o ator, conhecido opositor da esquerda brasileira.

“Tem professores tirando o artigo ‘o’ e o artigo ‘a’, e colocando ‘x’, como se pusesse… Estão brincando de Deus e mudando toda a biologia, porque por mais que eles inventem, articulem, homem não tem útero, e mulher não tem pênis”, encerrou, no depoimento em vídeo feito ao jornal O Globo.

Autor: gospelmais.com.br
Fonte: gospelmais.com.br

Comente com o Facebook