Publicada em 11/09/2017 às 09:39

Genocídio: garimpeiros "massacram" indígenas isolados na Amazônia

Evidências de um ataque? Malocas queimadas de indígenas isolados, vistas em dezembro de 2016, podem indicar outro massacre na Fronteira Isolada.

Genocídio: garimpeiros O Ministério Público Federal do Amazonas está investigando uma denúncia de que garimpeiros ilegais no rio Jandiatuba, na Amazônia, massacraram “mais de dez” membros de uma tribo isolada. Caso confirmado, isso significa que até um quinto de uma tribo inteira pode ter sido exterminada.

Dois garimpeiros foram presos.

As mortes ocorreram, supostamente, no mês passado na região do rio Jandiatuba dentro do território indígena Vale do Javari, mas a notícia foi revelada apenas após os garimpeiros se vangloriarem das mortes, mostrando “troféus” na cidade mais próxima.

Sertanistas da FUNAI confirmaram os detalhes do ataque à Survival International. Acredita-se que mulheres e crianças estão entre os mortos. A FUNAI e o Ministério Público Federal estão investigando atualmente.

A área é conhecida como a Fronteira Isolada Amazônica, pois é lar para mais tribos isoladas do que em qualquer outro lugar no mundo.

Diversas equipes do governo que protegem territórios de indígenas isolados tiveram seu orçamento reduzido pelo governo brasileiro, e diversas bases de proteção tiveram que ser fechadas.

Tribos isoladas na Amazônia brasileira, imagem aérea em 2010.

O governo do Presidente Temer é extremamente anti-indígena, e possui laços fortes com a poderosa bancada ruralista.

Os territórios de outras duas tribos isoladas vulneráveis – os Kawahiva e os Piripkura – também foram supostamente invadidos. Ambos estão cercados por centenas de fazendeiros e invasores.

As tribos isoladas são os povos mais vulneráveis do planeta. No entanto, quando seus direitos são respeitados, elas continuam a prosperar.

Todas as tribos isoladas enfrentam uma catástrofe, a não ser que suas terras sejam protegidas. A Survival International está fazendo tudo o que pode para garanti-las a essas tribos e dar-lhes a oportunidade de determinar seus próprios futuros.

O diretor da Survival International, Stephen Corry, disse: “Caso tais relatos sejam confirmados, o Presidente Temer e seu governo possuem uma grande responsabilidade por este ataque genocida. O corte no orçamento da FUNAI deixou dezenas de tribos isoladas sem defesa contra milhares de invasores – garimpeiros, fazendeiros e madeireiros – que estão desesperados para roubar e pilhar suas terras. Todas estas tribos deveriam ter tido suas terras devidamente reconhecidas e protegidas há anos – o apoio aberto do governo àqueles que querem abrir territórios indígenas é extremamente vergonhoso, e está retrocedendo os direitos indígenas em décadas."

Autor: Assessoria Survival
Fonte: O Nortão

Comente com o Facebook