Publicada em 11/09/2017 às 10:33

Gengibre é bom pra quê?! A gente conta – e ensina a consumir

Saiba os benefícios desse tempero e onde colocá-lo para dar sabor às receitas - de sucos a molhos...

Resultado de imagem para Gengibre

Origem: foi Marco Polo que levou o gengibre da Ásia tropical para a Europa — de lá, ela ganhou o paladar do mundo. Conhecido por aqui principalmente pela culinária japonesa, esse tempero também é base de muitos pratos indianos.

Formas de uso: ele pode ser usado tanto fresco como em pó — antes ou durante o cozimento. O que muda é o efeito obtido: a versão fresquinha tem sabor forte e picante, enquanto a ressecada é mais aromática e suave. Fica ao gosto do freguês.

Com o que combina: aposte no gengibre para incrementar as marinadas de frango, peixes e lombo de porco. O condimento também vai bem em receitas com arroz, conservas, molhos para saladas e carnes e vinagres aromatizados. Compotas de frutas, batidas e o tradicional suco verde também ganham frescor com o condimento.

Com o que não combina: o frescor dele briga com o sabor forte de grelhados de carne vermelha e de caça.

Benefícios nutricionais: tem ações antioxidantes e anti-inflamatórias reconhecidas. Por proteger o estômago, é recomendado para quem sofre de refluxo ou gastrite.

Como plantar: O gengibre se desenvolve em vasos espaçosos ou em jardins. A terra precisa ser adubada e não pode ficar encharcada — a planta se adapta melhor em regiões quentes e ensolaradas, atingindo até um metro de altura. O rizoma, que fica logo acima da raiz, deve ser colhido quando as folhas secam.

Veja ainda:

Publicada em 11/09/2017 as 11:28

Chocolate com azeite? Sim! A dupla turbina a saúde cardiovascular

Estudo feito na Itália descobre que adicionar azeite ao chocolate amargo previne a aterosclerose - causa de complicações como infarto, morte súbita e AVCs.

Publicada em 11/09/2017 as 11:20

Para ficar forte, não adianta comer muita proteína de uma só vez

Distribuir a ingestão de alimentos ricos nesse nutriente ao longo do dia em vez de concentrá-la só no almoço ou no jantar ajuda a preservar a musculatura.

Publicada em 11/09/2017 as 09:55

Epidemiologia da otite média aguda alterou-se de 2006 a 2016

Desde a introdução de vacinas pneumocócicas, a epidemiologia da otite média aguda (OMA) mudou consideravelmente, mas os fatores de risco não mudaram.

Publicada em 11/09/2017 as 09:40

Dados do Ministério da Saúde indicam mais mortes por chikungunya do que por dengue em parcial de 2017

Em 2017, o número de mortes por febre de chikungunya é maior do que o número de mortes por dengue no Brasil na última parcial divulgada pela Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, sobre essas doenças.

Autor: saude.abril.com.br
Fonte: saude.abril.com.br

Comente com o Facebook