Publicada em 16/01/2018 às 13:22

Fhemeron volta a cativar comerciários para doações e apela a famílias de acidentados para reposição de sangue em Rondônia

Comerciários, gerentes e proprietários de empresas em Porto Velho estão novamente convidados a doar sangue.

Comerciários, gerentes e proprietários de empresas em Porto Velho estão novamente convidados a doar sangue. Acidentes com motociclistas na cidade e na rodovia BR-364 aumentam, exigindo a estabilização do estoque de sangue A e O positivos.

Ninguém está livre de precisar de transfusão sanguínea. Ninguém está livre de sofrer um acidente, de passar por uma cirurgia ou por um procedimento médico em que a transfusão seja absolutamente indispensável.

“Nós iremos às empresas, quando nos liberarem salas para coleta, e se isso não for possível, podem marcar horário que a Fhemeron está de portas abertas”, disse o presidente da Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron), Sid Orleans.

O presidente reforçou que o Banco de Sangue funciona também aos sábados, das 7h às 18h30. No sábado passado (13), de 94 intenções, houve 71 coletas.

Esta semana, Orleans procurará novamente o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia, Raniery Araújo Coelho, a fim de reforçar a divulgação da campanha iniciada em julho de 2017.

No comércio, o tempo de doação por pessoa no comércio é de aproximadamente 40 minutos. Após a doação, o candidato é observado por algum tempo, recebe orientações para que evite esforços físicos naquele dia, se alimente bem – especialmente ingerindo líquidos –, recebe o lanche e é liberado.

Orleans reiterou que, em casos de acidentes, é preciso haver conscientização das famílias, no sentido de repor o sangue utilizado para salvar a vida da vítima. “Se houvesse sucessivas reposições, não estaríamos em campanha permanente”, afirmou.

O intervalo de doação para homens é 60 dias e para mulheres, 90 dias. Entretanto, recomenda-se que o homem doe até quatro vezes por ano e a mulher até três vezes por ano. Em Porto Velho, o maior percentual de doadores concentra-se nas zonas sul e leste (65% homens e 23% mulheres).

“As pessoas mais simples costumam vir de moto, ônibus e bicicleta, o que demonstra total boa vontade, amor e solidariedade”, elogiou.

O voluntariado nunca foi tão necessário. “Hoje, apenas 3% da população da Capital [511 mil habitantes] são doadores”, disse Orleans.

O hemocentro conta com doações de policiais militares, policiais civis, bombeiros e soldados do Exército Brasileiro, todos encaminhados à Fhemeron pelos respectivos comandos.

Para garantir o abastecimento dos bancos de sangue no estado, a Fhemeron iniciou ainda no ano passado o redimensionamento de hemocomponentes, que são os elementos do sangue: hemácias, plasma, leucócitos e plaquetas.

“É possível alcançar a estabilidade, contudo, para mantê-la, necessitamos chegar a cem doadores por dia, mas no período de férias esse número cai para 30 a 50”, explicou.

Técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) visitaram a Fhemeron em 2017, depois que o órgão ficou entre os quatro melhores hemocentros da região norte, junto com o Amazonas, Pará e Tocantins, concorrendo entre sete estados amazônicos.

Em Porto Velho, Ariquemes, Jiparaná, Cacoal, Rolim de Moura e Vilhena, igrejas têm marcado presença nas doações. Paralelamente, o presidente destaca a eficácia do transporte 24 horas em situações críticas, entre a capital e cidades do interior, e também no sentido inverso.

Orleans destaca as campanhas Sangue Universal, da Igreja Evangélica Universal, e Vida por Vida, da Igreja Adventista, consideradas bem organizadas e incentivadas por seus dirigentes no estado.

FALE COM O BANCO DE SANGUE
0800 642 5744
3216 2234
Das 7 às 19h, de 2ª a sexta-feira; aos sábados, ainda, até meio-dia.

QUEM PODE DOAR
► O homem pode doar quatro vezes por ano, a mulher, três vezes.
► Sentir-se bem, com saúde.
► Apresentar documento com foto, emitido por órgão oficial e válido em todo o território nacional.
► Ter entre 16 e 69 anos de idade e peso acima de 50 quilos.

QUEM NÃO PODE DOAR

► Quem teve diagnóstico de hepatite após inteirar 11 anos de idade
► Mulheres grávidas ou que estejam amamentando
► Pessoas que estão expostas a doenças transmissíveis pelo sangue – AIDS, hepatite, sífilis e doença de Chagas.

NO DIA DA DOAÇÃO

► Nunca doar sangue em jejum
► Fazer repouso mínimo de seis horas na noite anterior à doação
► Não ingerir bebidas alcoólicas nas 12 horas anteriores à doação
► Evitar fumar por pelo menos duas horas antes e depois da doação
► Evitar ingerir alimentos gordurosos

Autor: Assessoria
Fonte: O Nortão

Comente com o Facebook