Publicada em 13/02/2018 às 14:17

Fábio Garcia: grupo não é obrigado a manter apoio a Taques em 2018

Deputado defendeu posicionamento de Mauro Mendes em relação à gestão de Pedro Taques

Alair Ribeiro/MidiaNews

Clique para ampliar

O deputado federal Fabio Garcia e o governador Pedro Taques: críticas de Mauro Mendes

DOUGLAS TRIELLI
MIDIA NEWS

 

 

O deputado federal Fabio Garcia (DEM) negou que as críticas de seu “padrinho político”, o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), à gestão do governador Pedro Taques (PSDB) sejam a indicação de uma eventual “traição” ao projeto de reeleição do atual chefe do Executivo.

 

Em entrevista na semana passada, Mauro atribuiu ao aliado parcela de responsabilidade em relação à crise enfrentada pelo Governo do Estado. Criticou aumento do duodécimo dos Poderes em 2015.

 

Para Fábio, tanto ele quanto Mendes firmaram compromisso de apoio entre 2015 e 2018. Para as eleições deste ano, ele defendeu que o grupo sente novamente e avalie o desempenho do tucano.

 

Apoiamos Taques de 2015 a 2018 e temos a obrigação de sentarmos e discutirmos para a próxima eleição

“Não entendo que exista alguma traição. Meu entendimento é que apoiamos Taques de 2015 a 2018 e temos a obrigação, como homens públicos, de sentarmos e discutirmos para a próxima eleição qual o melhor caminho para Mato Grosso. Ninguém tem compromisso de dar continuidade a um governo por obrigação. E se você não tem obrigação, não existe traição”, afirmou.

 

Para o parlamentar, as avaliações negativas de Mauro em relação à gestão tucana não significam que o ex-prefeito entenda, desde agora, que o melhor caminho é romper a aliança com Taques, que vem desde as eleições de 2010.

 

“Acho que qualquer cidadão tem liberdade de fazer crítica, observação, a qualquer governo. E isso não significa nada. Pior é as pessoas ficarem alheias ao processo, não ajudarem ou não se posicionarem. Não vejo nada demais no posicionamento do Mauro”, afirmou.

Autor: MIDIA NEWS
Fonte: MIDIA NEWS

Comente com o Facebook