Publicada em 11/10/2013 às 16:58

Ex-modelo lança livro para beleza durante quimio: 'tinha medo de ficar feia'

A ex-modelo foi diagnosticada em 2012 e no final do ano decidiu criar a página batizada Quimioterapia e Beleza.

Ela estava no auge da carreira, mas sentia que faltava alguma coisa. A vida pessoal não estava completa e a moda ainda provocava a impressão de ser algo muito superficial, então, fez uma novena, pediu uma mudança de vida completa. “Dois dias depois nasceu um carocinho no meu peito”, contou a ex-modelo Flávia Flores, 36 anos. Talvez os dois fatos não tenham qualquer ligação, mas enfrentar o câncer de mama transformou a realidade de Flávia e mudou para sempre a direção dos trilhos que ela estava percorrendo. Ela recuperou a espiritualidade, reconheceu as pessoas que realmente a amavam, criou uma página de sucesso no Facebook e escreveu um livro com dicas de beleza para mulheres que enfrentam a doença.

 

saiba mais

 

A ex-modelo foi diagnosticada em 2012 e no final do ano decidiu criar a página batizada Quimioterapia e Beleza. “Vi como as muçulmanas e africanas amarravam lenços e ensinei a combinar o lenço com a roupa, como se vestir para uma festa, ensinei a colocar cílios postiços, a fazer sobrancelha e maquiagem porque a gente fica acinzentada”, contou ela sobre os vídeos e fotos produzidos. A ex-modelo começou a buscar referências nas passarelas, lenços apresentados por Dudu Bertholini e outros designers. Os pedidos de dicas começaram a crescer, a página já tem um milhão de acessos por mês e Flávia responde cerca de 100 mensagens por dia. Os trabalhos feitos na página somados à história de vida da ex-modelo deram origem ao livro de mesmo nome, que será lançado no dia 15 deste mês.

 

Começo, choro e consciência
Flavia estava prestes a fechar um novo contrato em São Paulo quando teve um problema de vazamento na prótese de silicone e decidiu voltar a Florianópolis para resolver. “Eu fui ao médico em São Paulo para saber sobre o caroço, mas ele disse que não era nada demais”, contou. Dez dias depois de trocar a prótese, recebeu uma ligação do médico. “Sentei no chão e comecei a chorar”, lembrou. Flávia, acompanhada da mãe, recebeu a notícia de que estava com câncer de mama, que deveria fazer a mastectomia e sessões de quimioterapia.

 

Tinha muito medo de ficar feia, mais do que de morrer

Flávia Flores

 

“Tinha muito medo de ficar feia, mais do que de morrer. Passou pela cabeça: ‘não vou fazer quimio porque não quero que meu cabelo caia’. Também não queria ficar sem peito”, contou. Flávia passou 10 dias de cama até aceitar a doença e decidiu procurar uma segunda opinião. O diagnóstico foi o mesmo, mas a proposta de fazer a mastectomia radical e, em seguida, a reconstrução da mama, a confortou mais, pois ela sairia da sala de cirurgia com os dois seios – na medida do possível – com a aparência de antes.

 

Ainda existia, porém, o problema da queda de cabelo e efeitos colaterais do tratamento. Flávia pesquisou na internet dicas de beleza para mulheres que fazem quimioterapia. “Não encontrei nada, nem em páginas internacionais. Não tinha como amarrar um lenço, nem nada”, disse. “Sem artifícios de beleza, a mulher – sem cabelo, cílios e sobrancelha – fica com cara de minhoca, de cotonete”, afirmou. Foi daí que surgiu a ideia da página, lembrou.

 

Flávia ensina amarrações de lenço para mulheres com câncer

 

 

Quimioterapia e Beleza
Comecei a compartilhar um pouco do que eu estava vivendo e as pessoas foram muito receptivas: faziam perguntas, dividiam informações, mandavam mensagens de apoio e elogios. “Procuro ajudar as mulheres que têm dinheiro para fazer um aplique, até as que só podem comprar peruca sintética. Em um dos tutoriais, ensino a fazer um turbante com uma babylook”, contou.  Ela, que recebe fotos das mulheres produzidas fazendo poses, disse que cada uma adquire um estilo, seja perua ou mais discreta com apenas um chapeuzinho.

 

A ex-modelo também dá dicas – tanto na página como no livro – de como driblar o enjoo, por exemplo. “Uma das coisas que me perguntam é como não engordei. Mas cuidei muito da alimentação, tem que beber muita água, comer muito ferro, como açaí, feijão, beterraba e evitar carboidratos porque incha mesmo”, explicou. “A gente não pode perder a autoestima, o tratamento é difícil, mas não impossível e a cura está 50% na cabeça”, acrescentou.

 

Antes e depois do câncer
“Toda pessoa que tem um câncer tem uma vida antes e outra depois da doença”, contou. Flávia tinha planos de morar junto com o namorado quando foi diagnosticada, ele prometeu ficar ao lado dela, mas foi embora e nunca mais atendeu os telefonemas. “Liguei 10 dias seguidos e só depois entendi que havia sido abandonada”, disse. Depois dos dias de desespero por tudo que estava acontecendo, ela entendeu o câncer como uma missão. “Foi um presente para mim”, afirmou.

 

 Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

​​“Sou uma pessoa menos estressada, vejo tudo como se fosse mais bonito, sou uma pessoa mais interessante e percebo muito amor ao meu redor, na minha família e na página também. Não tenho mais como ficar triste”, explicou. Flávia voltou a morar com a mãe, a pessoa que mais a ajuda no tratamento, e trouxe o pai para mais perto da família: “antes meus pais nem se falavam, agora jantam juntos”, contou. Ela abandonou o showroom, desfiles e representações de grandes marcas, fará sessões de quimioterapia até maio de 2014 e deve tomar um medicamento agressivo, mas se diz uma pessoa mais feliz e realizada.

Autor: Terra
Fonte: TERRA

Comente com o Facebook