Publicada em 20/04/2017 às 09:50

Escovas de dentes mal higienizadas podem causar doenças

Vírus, fungos e bactérias podem se proliferar nas cerdas da sua escova

A escova de dentes é um dos objetos mais utilizados no dia a dia. Justamente por fazer parte de um hábito tão comum, realizado no “modo automático”, muita gente se esquece de observar seu estado após escovar os dentes.

 

Se não forem higienizadas corretamente, as escovas de dentes pode

m se tornar o ambiente ideal para a proliferação de micróbios. Os restos de alimentos nas cerdas, a umidade do banheiro, a luz natural do ambiente e uma temperatura propícia formam a receita perfeita para a multiplicação de fungos, fungos germes e bactérias.

 

Por isso, a maioria dos dentistas recomenda que o ideal é trocar de escova a cada três meses ou antes, caso as cerdas estejam desgastadas demais. Falando nelas, é muito importante secá-las bem após enxaguar a boca, principalmente se você utiliza o protetor de cerdas.

 

Além disso tudo, estudos garantem que o estado de preservação da escova de dentes interfere diretamente na qualidade da escovação. Quanto mais nova, mais capaz de remover a placa bacteriana que se forma nos dentes e gengivas.

 

Confira algumas dicas para higienizar sua escova corretamente

- Certifique-se de que a escova esteja completamente seca entre um uso e outro;
- Quando tiver gripes, resfriados, infecção bucal ou dor de garganta, troque sua escova de dentes após melhorar. Os microrganismos causadores dessas doenças podem ficar alojados nas cerdas e causar uma nova infecção;
- Deixe a escova secar exposta ao ar, para reduzir a proliferação de germes. A melhor posição para armazená-las é em pé;
- Para evitar que os vírus da gripe e do resfriado passem de uma escova para outra, evite que elas encostem uma na outra quando guardadas. Prefira um porta-escovas que contenha divisórias, capazes de deixá-las em pé e levemente separadas.

Autor: TERRA
Fonte: TERRA

Comente com o Facebook