Publicada em 22/04/2016 às 11:52

Cuiabá-Bolívia direto

Aeroporto Marechal Rondon recebeu o primeiro voo direto internacional desde a provisória internacionalização ocorrida em 2014.

Em obras de reforma e ampliação, o Aeroporto Marechal Rondon, que fica em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, recebeu ontem seu primeiro voo direto internacional desde a sua provisória internacionalização ocorrida em 2014, ano de realização da Copa do Mundo da FIFA.

Com origem em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, o voo fretado para Mato Grosso trouxe o governador de Santa Cruz, Ruben Costas Aguilera, e delegação, para participação na Feira Internacional de Turismo do Pantanal (FIT).

O evento é realizado pelo Governo do Estado, com o apoio do Ministério do Turismo e trade turístico. Paralelamente, ocorre o encontro da Zona de Integração do Centro Oeste Sul-Americano (Zicosur), também com as presenças de representantes da Argentina, Chile, Paraguai e Peru.

Esta primeira viagem internacional inaugurou uma nova fase de operação fretada feita pela empresa boliviana Amaszonas e reacendeu as promessas de consolidação do potencial turístico do Estado, por meio da vinda de voos internacionais até então poucos explorados.

“O próximo passo é fazer com o que turismo e o comércio aumentem entre os dois Estados”, disse o governador Pedro Taques (PSDB), que recepcionou a delegação boliviana.

O secretário-adjunto de Estado de Turismo, Luiz Carlos Nigro, lembrou que a iniciativa é um sonho antigo do trade turístico mato-grossense.

“Em breve, teremos voos regulares ou comerciais. Já sentamos e conversamos com duas companhias aéreas, que são a Amaszonas e a Azul, para que possamos ter uma linha regular com voos internacionais para atender toda a população mato-grossense”, afiançou.

Porém, conforme Nigro, apesar de as companhias áreas terem interesse, inicialmente, de fazer os voos partindo do Marechal Rondon até Santa Cruz, por conta da crise econômica, financeira e política que o país atravessa, elas decidiram adiar o início da linha regular.

“Estamos num momento complicado politicamente e uma empresa fazer investimento de grande envergadura, como compra de aeronave, demanda gastos muito grande. E, infelizmente, as companhias não têm uma segurança para investir”, comentou. “Por enquanto, o aeroporto segue internacionalizado e estaremos atendemos os fretamentos”, acrescentou.

Mas, Nigro destaca as vantagens do aeroporto em ter voos internacionais. “Além de poder receber os turistas com mais facilidade, por meio de fretamentos ou charters, também poderemos mandar o turista daqui para outros lugares, o que abre um leque de oportunidades para as agências locais que poderão fazer pacotes para Bariloche ou Buenos Aires partindo de Cuiabá”,

Durante a Copa de 2014, companhias aéreas realizaram embarques e desembarques internacionais no Marechal Rondon, especialmente, a Amaszonas. Após o evento, a Receita Federal decidiu solicitar a Agência Nacional de Aviação Civil a suspensão da rota internacional, alegando falta de estrutura para o trâmite alfandegário. Deste então, o setor produtivo cobra a retomada do sistema de alfândega no aeroporto.

Ainda na chegada da delegação boliviana, Taques reforçou que o momento é importante para Mato Grosso. “Já na sexta-feira, depois da abertura hoje (ontem) da FIT do Pantanal e da Zicosur nós iremos até os portos do Chile e do Peru e a delegação de Aguilera nos acompanhará até Cochabamba. Para nós isso é bom, porque estamos fazendo novos amigos e temos certeza de que Mato Grosso e o Brasil ganham muito com essa parceria com a Bolívia”, comentou.

O governador destacou ainda que um dos assuntos que estarão sendo discutidos é a pavimentação de aproximadamente 315 quilômetros, entre a região de Cáceres e Santa Cruz, Para esta obra em território boliviano, o custo estimado é de R$ 400 milhões.
 

Autor: diariodecuiaba.com.br
Fonte: diariodecuiaba.com.br

Comente com o Facebook