Publicada em 14/03/2018 às 09:27

Banda larga para 80 municípios em Mato Grosso

As cidades de Jaciara, Vila Rica, Novo Santo Antônio, Nova Mutum, Cláudia, Juína, Novo São Joaquim, Paranaíta, Rio Branco, Sorriso, Alta Floresta, Juara, Carlinda, Colniza, entre outras.

Lançado pelo governo federal, o programa “Internet para Todos”, que pretende levar acesso à banda larga para locais remotos sem conectividade contemplará pelo menos 80 municípios, localizados em Mato Grosso. Anteontem, 2.721 prefeitos das cidades interessadas assinaram o termo de adesão ao programa, que oferecerá conexão à internet, via satélite, com preço reduzido.

No Estado, alguns dos municípios que assinaram o termo foram Jaciara, Vila Rica, Novo Santo Antônio, Nova Mutum, Cláudia, Juína, Novo São Joaquim, Paranaíta, Rio Branco, Sorriso, Alta Floresta, Juara, Carlinda, Colniza, Alto Garças, Porto Alegre do Norte, Cuiabá, Alto Paraguai, Itanhangá, Lucas do Rio Verde, Rondonópolis, Barra do Garças, Cáceres, Nobres e Tangará da Serra.

O “Internet para Todos” é considerado como um dos maiores programas de inclusão social do governo federal e deverá beneficiar cerca de 55 milhões de pessoas. Cerca de 40 mil localidades devem ser beneficiadas pelo programa em todo o país. No evento realizado em Brasília, o presidente Michel Temer também sancionou o projeto aprovado no Congresso Nacional, que libera R$ 2 bilhões para as cidades desenvolverem ações nas áreas de educação, saúde e assistência social.

Na oportunidade, conforme informações da assessoria de imprensa, o vice-governador, Carlos Fávaro, garantiu que intensificará os trabalhos para que ainda neste mês os 141 municípios façam a adesão ao programa. “Queremos garantir o cadastramento de todos, por isso vamos intensificar os contatos com os prefeitos dos 36 municípios restantes para assegurar esse benefício à população que hoje não tem acesso à internet ou utiliza um serviço precário. Estamos certos de que essa conectividade trará grandes oportunidades para o desenvolvimento do nosso estado”, disse ele por meio da assessoria.

De acordo com Fávaro, 105 municípios mato-grossenses estão aptos a assinar o termo de adesão com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Após a assinatura da adesão, a previsão é que os primeiros municípios beneficiados recebam a partir de maio as antenas que permitirão a conexão.

O Ministério espera que sejam instaladas 200 antenas por dia. A conexão será viabilizada pelo Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégias (SGDC), em órbita desde maio do ano passado e recebeu, desde então, R$ 3 bilhões em investimentos.

O ministro do MCTIC, Gilberto Kassab, explicou que a conexão do satélite também atenderá os ministérios da Defesa, da Educação e da Saúde, que firmaram parceria com a pasta de tecnologia para monitorar o tráfico nas fronteiras brasileiras, levar internet banda larga a 7 mil escolas públicas em 2018, além de implantar internet em hospitais e postos de saúde.

Kassab informou que ainda nesta semana o MCTIC enviará o primeiro lote de adesão dos municípios para a empresa que vai operar o satélite para dar início a instalação das antenas. “Todo esse processo de mobilização permitiu a realização desse projeto, por isso, agradecemos o empenho dos gestores públicos que foram fundamentais nessa grande conquista”.

Para o prefeito de Querência, Fernando Gorgen, o programa possibilitará uma nova realidade para os moradores. “O nosso município é o terceiro maior exportador de soja do estado e, hoje em dia, para a realização de negócios, a internet é fundamental. Recebemos o programa com muita felicidade e aguardamos ansiosos a instalação da antena em nossa cidade”, disse.

Conforme o governo, a conexão de internet será feita por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), de propriedade do governo brasileiro e que recebeu cerca de R$ 3 bilhões em investimentos. Em órbita desde maio de 2017, o satélite tem vida útil de 18 anos.

Para participar do programa, o prefeito deve informar as localidades que não possuem conexão em banda larga e definir um local para a instalação das antenas e dos equipamentos. Além disso, caberá ao município a segurança da área e as despesas com energia elétrica.

Autor: diariodecuiaba.com.br
Fonte: diariodecuiaba.com.br

Comente com o Facebook