Publicada em 11/09/2017 às 16:45

Anestesia geral: conheça os riscos, vantagens, efeitos colaterais e secundários

A anestesia geral é uma técnica para provocar inconsciência completa, abolição da dor (analgesia/anestesia), paralisia muscular, abolição dos reflexos e relaxamento do paciente.

Resultado de imagem para Anestesia geral

A anestesia geral é uma técnica para provocar inconsciência completa, abolição da dor (analgesia/anestesia), paralisia muscular, abolição dos reflexos e relaxamento do paciente. Ela faz com que o paciente torne-se incapaz de sentir ou reagir a qualquer estímulo assim permitindo a realização de intervenções cirúrgicas complexas e de grande porte.

Riscos

Existem mitos por aí de que a anestesia geral é um procedimento perigoso. As complicações exclusivas da anestesia geral acontecem raramente, principalmente em pacientes saudáveis. Geralmente, as complicações que podem ocorrer durante uma cirurgia são derivadas de doenças graves do paciente, como doenças cardíacas, renais, hepáticas ou pulmonares, ou mesmo por complicações da própria cirurgia, como hemorragias ou falência de órgãos vitais.

Vale a pena lembrar que a maioria das cirurgias realizadas sob anestesia geral são em pacientes com doenças graves ou cirurgias complexas de alto risco. Portanto, na grande maioria dos casos, se alguma fatalidade acontece, raramente é culpa é da anestesia geral.

É importante saber que a anestesia geral é uma técnica complexa, que deve ser feita apenas por profissionais qualificados em ambientes estruturados para tal.

Vantagens

A anestesia geral possui suas vantagens também. No caso de uma cirurgia de longa duração, ela possibilita a manutenção segura e eficaz da anestesia por um longo período de tempo.

Ela também possibilita ao anestesiologista controle total sobre os sistemas respiratórios e circulatório do paciente durante a cirurgia. Sem contar que ela propõe um conforto absoluto para o paciente, que permanece dormindo durante todo o ato cirúrgico.

Efeitos colaterais e secundários

Os efeitos dos anestésicos têm origem do seu poder de suprimir a atividade neuronal por todo o sistema nervoso central, que abrange o cérebro e a medula espinhal e controla a frequência cardíaca e a respiração. Excitabilidade reduzida, perceptível pelos tempos de resposta mais longos, fala arrastada e movimentos diminuídos são efeitos colaterais possíveis.

Muitas estruturas cerebrais envolvidas na formação da memória, entre elas o hipocampo, a amígdala, o córtex pré-frontal e as áreas sensoriais e motoras podem exibir alterações provocadas pela anestesia. Ausência de lembrança do período em anestesia pode ocorrer.

Reações alérgicas, problema de perda do volume sanguineo, perda de sangue dos vasos sanguineos, parada cardiaca e cardia respiratória, supertenção maligna, aumento da temperatura do corpo, dificuldade em reverter o efeito dos anestésicos.

Quando aplicada em crianças, a anestesia geral pode causar fadiga, tonturas, irritabilidade, inflamação da garganta, tosse, náuseas (má disposição do estômago) e vômitos. Efeitos secundários que podem ocorrer em adultos também.

Autor: Mariana Lima
Fonte: doutissima.com.br

Comente com o Facebook