Publicada em 11/10/2017 às 17:00

Alessandra Campêlo sugere grande reunião para debater Segurança Pública

Para Alessandra, a reunião ampliada é fundamental porque os problemas da Segurança Pública vão muito além da sensação de insegurança enfrentada diariamente pela população, com aumento da violência e da criminalidade na capital e interior.

Uma grande reunião para debater os desafios da segurança pública no Amazonas na Arena Poliesportiva Amadeu Teixeira. Essa é a proposta da deputada estadual Alessandra Campêlo, líder do PMDB na Assembleia Legislativa, que pretende levar a tropa para discutir o assunto com o governador Amazonino Mendes (PDT) e o secretário da SSP-AM, Bosco Saraiva.

 

“Quero uma conversa transparente e real. Quero chamar o Bosco Saraiva e o governador Amazonino Mendes para discutir com a tropa, mas é com a tropa toda. Hoje, se você quer ter credibilidade na tropa, meu colega Bosco Saraiva, não vá se trancar em Buffet e se reunir com oficiais e delegados apenas. Reúna-se na Amadeu Teixeira e coloque os praças, escrivães, investigadores, administrativos da Polícia Civil e Bombeiros”, sugeriu Campêlo na sessão desta quarta-feira, 11 de outubro.

 

Para Alessandra, a reunião ampliada é fundamental porque os problemas da Segurança Pública vão muito além da sensação de insegurança enfrentada diariamente pela população, com aumento da violência e da criminalidade na capital e interior.

 

Internamente, a tropa tem encarado nos últimos anos um processo de sucateamento da estrutura e tem diversas demandas a apresentar ao novo Governo, como melhoria das condições de trabalho nas delegacias e batalhões, data-base, auxílio fardamento, equiparação dos peritos criminais, novas promoções, código de ética, escala de serviço, pagamento do escalonamento retroativo e carteira de identificação de porte de arma.

 

“A minha proposta ao colega Bosco Saraiva é que ele faça uma reunião ampla com toda a tropa, que chame todos os praças, soldados, cabos, sargentos, que chame todas as patentes para uma conversa olho no olho, dizendo aos policiais o que tem para a Polícia Militar, os Bombeiros e a Polícia Civil. Quero conversar, mas com a tropa junto. Não aceitarei discriminação”, enfatizou a líder do PMDB.

Autor: Assessoria
Fonte: O Nortão

Comente com o Facebook