Conectado por

Saúde

Endometriose: O que é, sintomas, causas, tratamento e dúvidas


Compartilhe:

Publicado por

em

A endometriose é um condição inflamatória crônica causada pelo crescimento anormal de células do endométrio fora do útero, em locais como os intestinos, ovários, trompas de falópio ou bexiga.

A endometriose pode provocar sintomas como cólica intensa, menstruação abundante e cansaço excessivo, que pioram durante a fase menstrual do ciclo.

O tratamento para endometriose deve ser feito de acordo com a orientação do ginecologista e envolve o uso de medicamentos que ajudam a aliviar e controlar os sintomas, além de também poder ser necessário, nos casos mais graves, a realização de cirurgia.

Sintomas de endometriose

Os principais sintomas de endometriose são:

  • Cólica muito intensa antes ou durante a menstruação;
  • Dor durante o contato íntimo;
  • Menstruação abundante;
  • Sangramento fora do período menstrual;
  • Dor ao urinar;
  • Prisão de ventre ou diarréia;
  • Dor para evacuar;
  • Inchaço na barriga;
  • Cansaço excessivo.

Além disso, a endometriose pode dificultar a gravidez, sendo muitas vezes diagnosticada durante exames para identificar a causa da infertilidade feminina. Veja os principais exames para identificar a infertilidade.

A intensidade e a frequência dos sintomas da endometriose podem variar a cada mês e de uma mulher para outra.

Na presença dos sintomas de endometriose, é importante consultar o ginecologista para que sejam realizados exames que ajudem a confirmar o diagnóstico da endometriose e, assim, possa ser iniciado o tratamento mais adequado. Entenda como é feito o diagnóstico da endometriose.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da endometriose é feito pelo ginecologista através da avaliação dos sintomas, exame pélvico e exames de imagem, como ultrassom pélvico ou transvaginal, ou ressonância magnética. Veja a lista completa de exames para endometriose.

Além disso, o médico pode solicitar uma videolaparoscopia, que é um procedimento cirúrgico, que permite confirmar a endometriose e verificar a localização, tamanho e quantidade de implantes endometrióticos, que são os focos de endometriose fora do útero. Saiba como é feita a videolaparoscopia.

Causas de endometriose

A endometriose não tem causa muito bem estabelecida, no entanto algumas teorias explicam o que poderia favorecer o crescimento de tecido endometrial fora do útero.

As duas principais teorias que explicam a endometriose são:

  • Menstruação retrógrada, que é uma situação em que a menstruação não é eliminada corretamente, podendo seguir em direção aos outros órgãos pélvicos. Dessa forma, os fragmentos do endométrio que deveriam ser eliminados na menstruação permanecem nos outros órgãos, dando origem à endometriose e aos sintomas;
  • Fatores ambientais como a presença de poluentes que estão presente na gordura das carnes e refrigerantes poderiam alterar o sistema imune fazendo com que o corpo não reconheça estes tecidos. No entanto mais pesquisas científicas devem ser realizadas para comprovar estas teorias.

Além disso se sabe que mulheres com casos de endometriose na família têm mais chances de desenvolver a doença e por isso fatores genéticos também estariam envolvidos.

Como é feito o tratamento

O tratamento para endometriose deve ser orientado pelo ginecologista de acordo com os sintomas apresentados pela mulher, idade e gravidade da endometriose. Assim, pode ser indicado:

  • Endometriose leve: Podem ser usados anti-inflamatórios, como o ibuprofeno, que reduzem as dores, mas que não impedem o desenvolvimento da doença.
  • Endometriose profunda: Podem ser usados remédios hormonais ou cirurgia para endometriose, que ajudam a reduzir a quantidade de tecido endometrial fora do útero.

No entanto, estes tipos de tratamentos reduzem as chances de engravidar e só são usados em casos mais avançados ou quando a mulher está perto da menopausa. Veja mais detalhes sobre o tratamento da endometriose.

Dúvidas comuns

1. Existe endometriose intestinal?

A endometriose intestinal pode acontecer e surge quando o tecido endometrial, que reveste o interior do útero, começa a crescer no intestino, causando aderências. Esse tecido também responde aos hormônios, e por isso sangra durante a menstruação. Assim durante essa fase a mulher apresenta também sangramento pelo ânus, além de ter cólicas muito fortes. Saiba tudo sobre a endometriose intestinal.

2. É possível engravidar com endometriose?

A endometriose pode atrapalhar quem deseja engravidar podendo causar infertilidade, mas isto nem sempre acontece porque depende muito dos tecidos que estão envolvidos.

Por exemplo, é muito mais difícil de engravidar quando há endometriose nos ovários ou nas trompas de falópio, do que quando há somente em outras regiões. Isso acontece porque a inflamação dos tecidos nesses locais pode afetar o desenvolvimento do óvulo e, até, impedir que ele consiga chegar nas trompas, impedindo que seja fecundado pelo espermatozoide. Entenda melhor a relação entre endometriose e gravidez.

3. A endometriose tem cura?

A endometriose tem cura através da cirurgia para retirar todo o tecido endometrial espalhado na região pélvica, mas também pode ser necessário retirar o útero e os ovários, se a mulher não deseja engravidar. Existem outras opções como analgésicos e remédios hormonais, que ajudam a controlar a doença e aliviam os sintomas, mas se o tecido estiver espalhado em outras regiões, somente a cirurgia será capaz de fazer a sua remoção completa.

4. Como é a cirurgia para endometriose?

A cirurgia é feita pelo ginecologista por videolaparoscopia e consiste em remover a maior quantidade possível de tecido endometrial que esteja fora do útero. Essa cirurgia é delicada, mas pode ser a melhor solução para os casos mais graves, quando o tecido se espalhou por diversas áreas causando dores e aderências. Saiba tudo sobre a cirurgia para endometriose.

5. Muita cólica pode ser endometriose?

Um dos sintomas da endometriose é a intensa cólica durante a menstruação, no entanto, existem outras situações que também causam cólicas intensas como a dismenorreia, por exemplo. Por isso, quem faz o diagnóstico é o ginecologista com base na observação da mulher e de seus exames.

Confira no vídeo a seguir algumas dicas para aliviar as cólicas:

 

 

6. Endometriose engorda?

A endometriose provoca inchaço abdominal e retenção de líquidos, porque acaba provocando uma inflamação nos órgãos em que se encontra, como ovários, bexiga, intestino ou peritônio. Apesar de não haver um grande aumento de peso na maioria das mulheres, pode-se notar um aumento do volume abdominal, principalmente pélvico nos casos mais severos de endometriose.

7. Endometriose vira câncer?

Não necessariamente, mas uma vez que o tecido encontra-se espalhado por áreas onde ele não deveria estar, isso somado a fatores genéticos, poderá facilitar o desenvolvimento de células malignas. Se a mulher apresentar endometriose, deverá fazer o acompanhamento com o ginecologista, realizando exames de sangue e ultrassonografia com maior regularidade e deverá seguir o tratamento indicado pelo seu médico.

8. Existe tratamento natural?

As cápsulas de onagra contem o ácido gama-linolênico em proporções ricas. Este é um precursor químico das prostaglandinas e, por isso, são uma boa opção natural, embora não sejam suficientes para curar a doença, ajudando apenas a combater os sintomas da endometriose e tornando o dia a dia e a fase da menstruação mais fácil.

9. Endometriose aumenta o risco de aborto?

Normalmente os sintomas da endometriose melhoram durante a gravidez e as complicações na gestação são muito raras. Apesar disso, há um risco um pouco maior da mulher ter placenta prévia, o que pode ser observado com ultrassons mais frequentes, solicitados pelo obstetra.

Assista o vídeo com a Dra. Helizabet Ribeiro, ginecologista especializada em endometriose que esclarece todas as dúvidas sobre a essa doença

Bibliografia

  • ESHRE. Information for women with endometriosis. 2014. Disponível em: <https://www.eshre.eu/-/media/sitecore-files/Guidelines/Endometriosis/ESHRE-ENDOMETRIOSIS-GUIDELINE_Patient-version_FINAL.pdf?la=en&hash=52A8A838A070CAF508B43C65DE5D0BEEF1B8438F>. Acesso em 08 out 2020
  • CAMPOS; Cláudia et. al.. Endometriose – Epidemiologia, Fisiopatologia e Revisão Clínica e Radiológica. Acta Radiológica Portuguesa. 80. 20; 67-77, 2008
  • PROTOCOLOS CLÍNICOS E DIRETRIZES TERAPÊUTICAS – MINISTÉRIO DA SAÚDE. Endometriose. 2010. Disponível em: <https://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2014/abril/02/pcdt-endometriose-retificado-livro-2010.pdf>. Acesso em 08 out 2020

Tua Saude

Publicidade
Governo de Rondônia
Betfair
ÓTICA DINIZ
Online Cassino


Desenvolvimento