Conectado por

Política

CGU: Governo pagou R$ 336 mi em auxílio emergencial a 135,7 mil mortos


Compartilhe:

Publicado por

em

Uma auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) aponta que o governo federal pagou auxílio emergencial a 135,7 mil pessoas mortas, entre 2020 e 2021 – durante o auge da pandemia de Covid-19. O prejuízo aos cofres públicos alcançou R$ 336,1 milhões.

O procedimento rotineiro da CGU visa averiguar eventuais falhas relacionadas a fraudes nos benefícios concedidos aos cidadãos brasileiros.

Dentre todos os pagamentos que não se enquadravam nos requisitos exigidos para o recebimento do auxílio, o governo desembolsou R$ 9,4 bilhões.

Veja, abaixo, os casos de beneficiário irregular:

  • com indicativo de óbito anterior ao recebimento de parcela do subsídio – 135,7 mil casos;
  • com renda familiar mensal em desacordo com os critérios de elegibilidade – 1,1 milhão;
  • com vínculo empregatício formal ativo registrado na GFIP – 1,9 milhão de casos;
  • com vínculo registrado no Siape – 8,8 mil casos;
  • com vínculos ativos com as Forças Armadas – 58,9 mil casos;
  • cidadão que recebe subsídio previdenciário ou assistencial do INSS – 867,9 mil casos;
  • cidadão que recebe Benefício de Preservação do Emprego e da Renda – 299 mil casos;
  • cidadão que recebe seguro-desemprego – 214 mil casos;
  • cidadão que recebe seguro-defeso – 197 mil casos; e
  • cidadão que atua como agente público estadual, distrital ou municipal ou que possui outro tipo de vínculo com entidade pública dessas esferas – 675 mil casos.

Instituído em 2020 para ajudar os brasileiros mais afetados pelas consequências econômicas da pandemia de coronavírus, o auxílio emergencial foi retomado em 2021, quando custou R$ 59,5 bilhões aos cofres públicos.

Por ocasião da retomada dos pagamentos, a própria CGU fez uma série de recomendações ao Ministério da Cidadania e à Caixa Econômica Federal para minimizar fraudes que já haviam sido observadas em 2020.

Os cidadãos têm até seis meses, após o recebimento, para fazer a devolução voluntária e, se não o fizerem e forem identificados, receberão multas que podem chegar a 20% do valor devido e podem ter o nome publicado na Dívida Ativa da União.

Metropoles

Publicidade
Governo de Rondônia
Betfair
ÓTICA DINIZ
Online Cassino


Desenvolvimento